Saiba como cuidar da piscina de forma correta para o verão

Ter uma piscina no condomínio é realmente uma grande vantagem, não é mesmo?

Principalmente no verão (ou em dias quentes de outras estações), essa estrutura contribui com o bem estar dos moradores, oferecendo qualidade de vida e oportunidade de confraternização.

Contudo, isso requer alguns cuidados, principalmente de manutenção, para o bom aproveitamento. Já comentamos um pouco sobre este assunto no artigo Hora do lazer: saiba como redobrar a segurança em Piscinas.

Mas hoje o tema é um pouco diferente. A seguir, vamos falar sobre como cuidar da piscina do condomínio para garantir que ela esteja sempre em boas condições de uso.

 

6 dicas para cuidar da piscina no condomínio

1. Use os produtos químicos certos

Antes de começar a limpar a piscina, é muito importante que você conheça e saiba qual é a função de cada produto químico a ser usado.

Há vários tipos desses produtos que podem ser utilizados na limpeza da piscina. Alguns exemplos são:

  • Cloro: Bactericida e germicida
  • Algicida de Manutenção: Evita a formação de algas
  • Algicida de Choque: Elimina algas
  • Clarificante líquido: Decanta impurezas da água
  • Redutor de PH (-PH): Reduz o nível de PH
  • Barrilha leve (+PH): Eleva o nível do PH
  • Clarificante: Clarifica a água e melhora a filtragem

2. Controle do PH

No mínimo uma vez por semana deve ser medido o controle do PH para conferir se a piscina está própria para o banho.

O nível ideal do PH é entre 7,4 e 7,6. A medição pode ser feita com um Estojo Teste para análise do PH, que é encontrado em lojas de produtos para piscinas. O produto vem com instruções de uso.

3. Cloro

Outro ponto importante para quem precisa saber como cuidar da piscina é o cloro, um elemento que serve como desinfetante. Por este motivo, sua aplicação é indispensável.

Contudo, tenha atenção em usar conforme as instruções do fabricante.

Importante: o nível do cloro na água deve estar sempre entre 1.0 e 3.0 ppm. Para cada mil litros de água cerca de 4 a 5 gramas de cloro granulado são suficientes. Não esqueça também de fechar a piscina após o uso do cloro e reabri-la somente uma hora após a aplicação.

4. Controle do residual de Cloro

O mesmo estojo para análise do PH pode ser usado para Cloro também. Para fazer a medição, basta mergulhar o estojo de boca para baixo a 30cm da superfície.

Retire o estojo da piscina e adicione, sem tocar com os dedos, 5 gotas de orto-tolidina (cloro livre) que vem junto com o kit. Tampe e agite o estojo até dissolver os tabletes. Depois disso, é só fazer a leitura e comparar os índices.

Se o cloro estiver fora dos limites, é preciso ajustá-lo. Lembrando que não há como reduzir o residual de cloro na piscina, portanto nunca exagere no cloro, melhor ter menos e adicionar mais aos poucos do que exagerar na dose.

5. Controle de algas

Para evitar a formação de algas na piscina do condomínio deve ser utilizado um algicida de manutenção. Lembre sempre de usar o produto de acordo com as intruções do rótulo.

Agora, caso a piscina esteja impregnada de algas, é necessário usar um algicida de choque.

6. Troca da água

Não podemos falar sobre como cuidar da piscina sem mencionar esse  último, mas não menos importante, detalhe: a troca da água.

Na prática, se bem cuidada, não será necessário trocá-la. Mesmo que apresente algumas irregularidades, como algas ou desajuste no PH, ela pode ser tratada e recuperada com decantação e aspiração.

Portanto, não é recomendado que a piscina seja esvaziada. Mas caso seja realmente necessário por algum motivo, entre em contato com o fabricante ou com uma equipe de manutenção para ter o suporte necessário, já que dependendo do tipo de terreno poderá haver prejuízos irrecuperáveis tanto para o vinil como para a estrutura de alvenaria.

Gostou das dicas? Está mais preparado para fazer a limpeza da piscina? Caso precise ajuda para seu condomínio, conte com a Alamo. Nós realizamos serviços de conservação de condomínios sempre priorizando a qualidade. Solicite aqui sua proposta!

 

Deixe um Comentário