Horta comunitária em condomínio: dicas práticas para montar a sua

Cultivar uma horta comunitária em condomínio é garantia de boa alimentação e qualidade de vida. 

Alimentos naturais e livres de agrotóxicos são cada vez mais procurados pelas pessoas. Só que às vezes essa opção parece distante. Pode faltar tempo para ir à feira orgânica fazer compras, falta espaço para montar sua própria horta em casa, principalmente se vivem em apartamentos ou locais de área externa limitada e os alimentos orgânicos normalmente tem o preço mais elevado.

É neste ponto que as hortas comunitárias em condomínios entram na jogada. Além de uma melhoria na qualidade de vida dos moradores, esse espaço pode servir também como elo para unir os condôminos.

Além do mais, uma horta comunitária é uma ação sustentável. Já falamos sobre a importância da sustentabilidade em condomínios no post como aproveitar a água da chuva e economizar no condomínio.

Mas voltando ao “assunto horta”, confira abaixo como implementar uma, dicas para a montagem e cuidados necessários para a manutenção.

 

Como fazer uma horta comunitária em condomínio

O primeiro passo para a implementação de uma horta comunitária é aprovar essa medida em uma assembleia de condomínio.

Como a criação de uma horta envolve também obras em áreas comuns, é sempre bom colocar o tema na pauta da assembleia e ter a aprovação dos moradores, já que irá precisar de investimento do condomínio.

Após aprovada a obra, é hora de colocar a mão na massa (ou na terra) e começar os preparativos para montar uma boa horta comunitária em condomínio.

Para o plantio, pode ser usado uma parte da área do jardim do condomínio. Aqui os custos orçados envolveriam o nivelamento e tratamento do solo, sistemas de irrigação e outros materiais e serviços.

Uma forma mais simples é fazer o plantio em vasos ou floreiras. A grande vantagem dessa opção é que não exige um espaço tão amplo e pode ser também mais econômico. Isto é, os condôminos podem aproveitar os pequenos espaços disponíveis, desde que haja uma boa exposição à luz do sol e uma preparação adequada do solo.

Outro ponto importante que precisa ser levado em consideração é quem irá cuidar da manutenção da horta. Serão os próprios condôminos, um jardineiro contratado ou uma empresa especializada?

Independente de quem irá cuidar, é preciso ter isso bem definido. Os cuidados são relativamente simples: regar, tirar plantas daninhas e colher. O que não pode acontecer é deixar a horta “sem dono”, pois isso pode fazer com que as plantas morram por falta de cuidados.

 

Dicas e cuidados para a manutenção da horta comunitária em condomínio

Algumas dicas gerais para que a horta comunitária sobreviva e seja sempre uma fonte de alimento para todos os moradores:

  • Escolha locais com bastante luz solar e evite sombras;
  • Fique atento ao tamanho das plantas. As mais espaçosas e que precisam de mais de 60 cm de profundidade, como manjericão, alecrim, sálvia e louro devem ser plantadas separadamente. Já as menores, como cebolinha, salsinha, coentro, orégano e manjerona podem ser misturadas. O ideal é que sejam plantadas aos pares;
  • Para preparar um bom solo, a receita correta é: argila expandida, areia grossa, composto de terra com húmus e esterco;
  • Faça furos nos vasos para que a água em excesso escorra;
  • Muito cuidado com as pragas. Uma forma de evitá-las é por meio da rotação das culturas;
  • Monte um canteiro com tijolos e faça a impermeabilização do local;
  • Deixe bem definido como será a distribuição da colheita. Todos receberão regularmente algumas peças ou os condôminos ficarão livres para colher na horta sempre que quiserem? É bom ser transparente e deixar essa questão bem clara.

 

Gostou das dicas? Tem mais algo para acrescentar? Comente abaixo e conte se já existe uma horta comunitária em seu condomínio e como está sendo essa atividade.

Aproveite e curta a página da Alamo no Facebook para continuar acompanhando nossos conteúdos!

Deixe um Comentário

Assembleia de CondomínimoAplicativo para Condomínio Residencial